Opel Tannumsaeng takes a picture during a communications workshop in Bangkok Thailand.

Tornemos viral o Evangelho

É irônico que as plataformas de comunicação, que em algum momento foram acusadas de tornar as pessoas mais individualistas e de distanciá-las da sociedade (o que tem muito de verdade), hoje em dia se tornaram completamente o oposto, uma ferramenta vital para nos comunicarmos em meio ao “distanciamento social” imposto por muitos governos no mundo, em meio à crise pelo COVID-19. 

Não sou um especialista em virologia, mas não preciso sê-lo para me dar conta que algo que este vírus tem, ao contrário de muitos outros vírus que surgiram no transcurso da história da humanidade, é uma capacidade de se espalhar a uma escala planetária e a uma velocidade nunca vista. É interessante porque o conceito em internet que conhecemos como “viral” vem exatamente dessa capacidade de um vírus de se espalhar, mas o temos usado por anos para nos referir à capacidade que tem uma publicação (seja uma foto, um vídeo, um texto, um meme, um gif) de se espalhar pelo mundo a uma velocidade que se calcula em milhares de likes ou de vezes em que foi compartilhado por segundo.

Sempre me impactou a forma como Jesus comunicava, já que para a época em quem ele viveu a oralidade era um dos meios de comunicação que mais se utilizava. Jesus se adaptou a essa realidade e utilizou parábolas, analogias e outros recursos orais como um meio para ilustrar verdades profundas e divinas.

Estou convencido que Deus deu a nós, seres humanos, uma capacidade de adaptação, e aos crentes de maneira especial, deu seu Espírito Santo para discernir e entender melhor os tempos. Essa adaptação tem sido evidente na mudança dramática que a Igreja do Senhor experimentou nas últimas semanas, de ter que deixar (quase de forma obrigatória) de se reunir em templos para se congregar através do Facebook ou do Youtube, e a ter seus grupos de jovens, estudos bíblicos, grupos de casais, mulheres, homens, em uma sala virtual de Zoom ou outra plataforma. 

Nós somos o corpo de Cristo, e esse corpo é a Igreja (Colossenses 1:18), e continuaremos a ser igreja seja congregando em um templo seja no ciberespaço. Algo que aprendi neste tempo é que a igreja não depende de um lugar físico para se reunir.

Em Isaías 55:11 o Senhor diz que sua Palavra não voltará vazia, dará fruto e prosperará em todos os lugares onde ele a envie. Quando Jesus falava, sua Palavra se tornava viral no mundo (Mateus 4:23-25) e tinha um impacto eterno naqueles que a escutavam e a guardavam em seu coração. O bonito desta promessa é que ela continua sendo cumprida em nosso tempo.

Não sei se a este ponto muitos ainda continuam resistindo ao uso da tecnologia e aos meios de comunicação como um recurso para a evangelização, mas hoje, como nunca antes, a internet está inundada pela mensagem da Palavra de Deus, assim como de pessoas em suas casas navegando pelas redes sociais e sedentas por encontrar respostas. Casualidade? Não creio. Em vez disso, penso que é um tempo fascinante que Deus nos está permitindo, no qual podemos atravessar fronteiras sem necessidade de nos movermos de nossas casas e, literalmente, colocar a mensagem das boas novas na mão de milhões de pessoas até o último da terra. 

A tradução da Bíblia também tem sido chave para que a mensagem do Evangelho afete e transforme comunidades locais em muitos países. Até o momento existem 698 idiomas com a Bíblia completa, representando 5,6 milhões de pessoas. Glória a Deus! Mas ainda há muito por fazer. E nesse tempo em que se marca o início de uma nova era digital para a humanidade, não podemos esquecer de todos aqueles que ainda não têm nem sequer um versículo em sua língua materna. 

Neste exato momento, há milhões de crentes fechados em suas casas, 24 horas por dia, 7 dias na semana, com muito tempo entre suas mãos, os quais podemos alcançar para semear uma inquietude em seu coração pelos povos que ainda não têm a Bíblia em seu idioma, e para motivá-los a que se envolvam em projetos de tradução da Bíblia, seja doando, orando e, no futuro, indo. O que podemos fazer, como organizações, para motivá-los a se envolverem em uma causa como a tradução da Bíblia?

A você que está lendo estas linhas, quero deixar uma palavra final de desafio. Vai depender de nós mesmos que, ao terminar esta crise, continuemos sendo as mesmas pessoas ou que, como diz Romanos 12:2, deixemos que Deus nos transforme pela renovação de nossa mente. 

O Evangelho deve continuar se expandindo por toda a terra. Comuniquemos de acordo com a realidade em que vivemos hoje, usemos os meios de comunicação a nosso alcance e tornemos viral o Evangelho que liberta e que trará paz, compaixão, misericórdia, esperança e salvação às vidas daqueles no mundo que hoje estão imersos no temor, na incerteza e na desesperança. 

Luis David Martí

Área de Comunicações 

Luis David Martí é salvadorenho, formado em Comunicação Social. Tem servido, junto com sua família, como missionário por 10 anos na Área de Comunicação da Aliança Global Wycliffe em diferentes funções. Atualmente é também o Coordenador de Comunicação da Federação Evangélica Missionária Costarriquenha (FEDEMEC), na Costa Rica.

Fonte: Fedemec-Federação Missionaria Evangélica Costarriquense 

Núcleo Rural Boa Esperança II, Ch 04 Granja do Torto, Brasília – DF

61 3468 7220 | 9 8333 0224

alem@wycliffe.org.br

Orçamento
[contact-form-7 404 "Not Found"]
×
×

Olá!

Plataforma disponível das 9h as 17h

× Precisa de ajuda?